Destaques

ANIMAIS NOTURNOS - Crítica


ANIMAIS NOTURNOS

SINOPSE: um escritor dedica o seu mais novo livro, sobre a sombria história de uma família, para sua ex esposa. Lendo o manuscrito, a mulher fica pensando nos motivos que levaram o homem a colocá-la em sua dedicatória.

CRÍTICA: Animais Noturnos traça paralelos importantes entre criação e inspiração que guinam a história de Susan e seu ex marido, ou de Tony - personagem fictício da obra de Edward. O livro do homem serve como escapismo para sua ex mulher, que afogada e de mãos atadas num substancial falho casamento, entrega-se a leitura, que a salva e a condena. A salva de ter que lidar com seu infiel e distante marido e a condena por enxergar em cada linha os ferimentos ao qual infringiu Edward, seu ex, ao traí-lo. Cada vez que Susan abre o livro os pesadelos de Tony tornam-se mais tenebrosos, incomodando-a.

Amy Adams, com uma beleza fria e magnética, incorpora Susan. Seu olhar, mesmo gélido após anos vivendo com a escolha errada, passa o desconforto de sua instigante leitura - incapaz de desgrudar-se. Sua interpretação, mesmo sendo mais contida, não fica imune de elogios, uma vez que, sendo a grande alma do filme, a mulher é capaz de fazer o espectador ter interesse também em sua história toda vez que ela fecha o livro e o calvário de Tony é interrompido. Grande parte disso cabe também à direção de arte que soube corroborar a fria vida de Susan em meio às suas escolhas do passado: com a ambientação de sua casa e de seu trabalho.

Outro grande ponto de Animais Noturnos é a obscura e violenta história do personagem fictício do livro. Mesmo reconhecendo o seu caráter fantasioso, assim como a protagonista, o espectador sente, em seus poros, o terror que Tony e sua família passa. Sua narrativa rompe uma barreira dupla para atingir quem está do outro lado da tela. E aqui vemos um brilhantismo ainda maior do cast masculino, com suas ferrenhas atuações. Os paralelos entre a violenta história de Tony e de Susan é fixado também pela câmera de Tom Ford, que busca enquadramentos semelhantes entre as duas narrativas.

Nota: 🌟🌟🌟🌟🌟
Por: @criticasdaval
Disponível Netflix 🍿

Nenhum comentário