Destaques

Pulp Fiction: Tempo de Violência (Pulp Fiction, 1994) - Crítica



Pulp Fiction: Tempo de Violência (Pulp Fiction, 1994)
.
SINOPSE: Os caminhos de vários criminosos se cruzam nestas três histórias: Um pistoleiro se apaixona pela mulher de seu chefe, um boxeador não se sai bem em uma luta e um casal tenta executar um plano de roubo que foge do controle.
.
CRITÍCA: O submundo da máfia ganha contornos de devoção após experimentar o auge híbrido de Quentin Tarantino na sua salada de inspirações cinematográficas, diluídas em uma experiência única e até dificilmente descritível pelo caráter icônico automático após sua assistida. A não linearidade tipicamente “Nouvelle Vague” constitui aqui três histórias sem aparente conexão além da barbárie violenta de seu ambiente, que por que não, podem está propiciais a acasos comuns ou incomuns que mudam tudo em instantes.
.
O simples recuperar de uma maleta ou um relógio já é motivo suficiente para todo um circular de acontecimentos imprevisíveis e hipnotizantes pela versatilidade dos diálogos que as conduzem. Preenchendo uma espécie de “no-sense” logico humorístico, onde o grau de absurdez das situações é articulado referencialmente a um nível de sadismo entretivo, combinando perfeitamente com aquele universo exagerado, musical, ilícito, harmonizando um compilado de cenas visualmente e textualmente emblemáticas.
.
A genialidade de Tarantino reside na forma a qual ele trata determinados elementos, a “misse en cene” é claramente mais importante do que o enredo, por que ele estará narrando propriamente tramas descartáveis, servindo mais como testes morais de seus personagens, que vão ser mutáveis ao cotidiano de alguma forma, sendo sustentado dramaticamente pela organização cênica a qual os desdobramentos vão se relacionando.
.
Portanto, pode-se dizer a narrativa baseia-se exclusivamente na dinâmica aleatória dos personagens de causa e consequência dos eventos que os rodeiam, o que torna ainda mais fascinante o feito de transformar essa banalidade em uma unidade coerente de vários gêneros e artefatos cinematográficos diferentes e igualmente estimulantes. Assim, Pulp Fiction se coloca entre uma das grandes obras primas da história do cinema.
.
Nota: 🌟🌟🌟🌟🌟
Por: @criticascomijpl
Disponível Netflix 🍿

Nenhum comentário