Destaques

AREIA MOVEDIÇA - SERIE



AREIA MOVEDIÇA

SINOPSE: Maja é acusada de colaborar com um massacre na escola em que estudava. Durante seu julgamento a menina conta os eventos que a levaram para aquele momento.

CRÍTICA: uma vez que se está numa areia movediça, o indivíduo é sugado a medida que se debate tentando sair dali: o espectador da nova série sueca da Netflix pode sentir essa submersão, tendo em vista que é difícil desgrudar os olhos da tela. Aliado a isso, podemos colocar também o relacionamento conturbado de Maja e Sebastian: quanto mais a menina vai adentrando no mundo do jovem, mais as coisas vão se tornando catastróficas. A premissa delicada pode assustar e causar certo receio, dessa forma, é importante mencionar: o tiroteio não funciona como foco do seriado, sua concepção é um detalhe. O massacre em si serve mais como uma adjetivação de “o crime que aconteceu”, pois Areia Movediça é uma história que se preocupa em contar os eventos que levaram a tal e as consequências que os acusados enfrentam: não é sobre um massacre, é sobre o julgamento de uma pessoa.

Um dos pontos interessantes da série é sua protagonista. Maja é espontânea e mesmo comum antes da tragédia; em contraposição, fria e distante durante as fases de seu julgamento. Essas antíteses são construídas com o fito de colocar as dúvidas necessárias para o espectador continuar a consumir o show. E mais do que isso, Areia Movediça pincela rapidamente assuntos de extrema tensão como xenofobia, abandono fraternal, acesso a armas e, de forma mais agressiva, relacionamentos abusivos.



Quanto aos seus pecados, a série usa de estereótipos para dar vida a alguns personagens: o traficante é interpretado pelo único ator negro, por exemplo. E mais, os interesses amorosos de Maja caem num clichê batido, no qual suas qualidades são concebidas de forma maniqueísta - o rico é extremamente elitista e problemático, o pobre é bonzinho, inteligente e sempre injustiçado (não sendo via de regra). A catarse da obra vem em seu final explosivo dentro da sala de julgamento. E o espectador, que também passeia entre defesa e acusação, respira com certo pesar quando os créditos sobem.

Nota: 🌟🌟🌟🌟
Por: @criticasdaval
Disponível Netflix 🍿

Nenhum comentário